10 perguntas respondidas sobre a calvície

1) Meu pai é calvo, então eu também serei? Em quanto tempo a calvície vai me “pegar”?

Não há como afirmar se um filho de pai calvo também o será, e menos ainda predizer em quanto tempo ele começará a perder seus cabelos.

calvicie-masculina

2) Meu pai não é careca, então eu estou livre da calvície?

A hereditariedade da calvície pode pular gerações, assim, mesmo filhos de pais não calvos poderão sofrer com a queda de cabelo.

3) Tenho bastante pelos no corpo, dessa forma, as chances de eu ficar careca são menores, correto?

Não. Ter mais ou menos pelos no corpo não influencia na incidência ou não de calvície.

4) Quais são as primeiras áreas que os cabelos caem?

As entradas e a coroa são geralmente as áreas que são primeiramente afetadas na calvície masculina.

5) A testosterona influencia na calvície?

A testosterona existe em maior quantidade no organismo masculino, e, teoricamente, quanto mais testosterona livre existir no organismo, maior será a propensão para a calvície.

6) Porque existem mais homens carecas do que mulheres calvas?

Assim como a calvície verificada nos homens, também existe a calvície feminina. No caso dos homens, estes possuem testosterona em maiores quantidades, a qual favorece o aparecimento de pelos e não de cabelos, já o estrógeno, presente em maiores quantidades nas mulheres, rege os cabelos, e assim, elas ficam mais protegidas com esse desenho genético.

7) Sou mulher e estou perdendo cabelos, há chances de eu ficar totalmente careca?

Apesar da calvície aparecer de forma mais rara no sexo feminino, existem casos gravíssimos de mulheres que sofrem com a queda capilar excessiva.

8) A calvície feminina é igual à masculina?

A maior parte dos casos de queda de cabelo em mulheres ocorre de forma difusa, ou seja, a queda capilar tende a deixar o cabelo mais ralo, e não formando buracos, como ocorre nos homens na região da coroa.

9) Quais são as principais causas da calvície?

Os fatores mais comuns da queda de cabelo são genéticos, além de doenças no couro cabeludo, desequilíbrio hormonal, estresse e ansiedade, má alimentação, maus hábitos de assepsia, hábitos alcoólicos e tabágicos, uso indiscriminado de tratamentos e produtos com química capilar, e uso inadequado de secadores de cabelo.

10) É possível ter de volta cabelos que caíram?

A resposta à essa pergunta depende prioritariamente da situação do bulbo capilar responsável pelo que fio que caiu, se ele ainda estiver vivo, mesmo que o fio esteja bastante fino, este poderá ser espessado, porém, se o bulbo capilar estiver fechado, ainda não há um tratamento clínico que comprovadamente faça os cabelos voltarem a nascer ali, e, nesse caso, a única saída é o implante capilar.

Aqui reside a importância de se diagnosticar a natureza dessa queda capilar, se temporária, resultante, por exemplo, do eflúvio telógeno, ou permanente, como a queda provocada pela alopecia androgenética.